expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de junho de 2016

calanchoe

Calanchoe

Nome científico: Kalanchoe blossfeldiana.

Sinônimos: Calandiva, flor-da-fortuna, flor-do-papai e kalandiva.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: África e Madagascar.

Características: É uma suculenta com até 50 centímetros de altura, bastante esgalhada, densamente folhada, com folhas crenadas, obovadas, verde-brilhantes. As flores podem ser vermelhas, amarelas, brancas, lilás, etc. São pequenas, ocorrem em cachos muito ornamentais.

Tipo de solo: Gosta de solos férteis, com bastante matéria orgânica, bem drenados.

Luminosidade: Meia-sombra.

Multiplicação: Por estaquia dos galhos.



    Foto: Maria do Carmo SIlva


Regas: Devem ser controladas para manter o substrato úmido, mas nunca encharcado.

Plantio: Pode ser feito em canteiros e em vasos. Em canteiros, faça covas com 20 x 20 x 20 centímetros, coloque a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal ou cinza e esterco de curral ou compostagem. Em vasos, coloque cacos de telha ou tijolo no fundo, a fim de proporcionar boa drenagem, ponha um pouco de terra, a muda e complete com a mesma mistura acima.

Sucesso no cultivo!

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Flor-de-seda

Flor-de-seda

Nome científico: Schlumbergera truncata.

Sinônimos: Flor-de-maio.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Brasil.

Características: É uma cactácea epífita, com folhas suculentas, intercaladas, como se fosse uma corrente. A variação da cor da folha vai do verde-escuro ao verde matizado de vermelho, dependendo da luminosidade e da cor da flor. As flores variam do branco ao lilás-escuro. São muito decorativas.

Substrato: O substrato pode ser fibra de casca de coco misturada com casca de pinho, por exemplo. Por ser uma planta epífita, pode até adaptar-se à terra, mas comumente apodrece.

Luminosidade: Meia sombra.

Regas: Deve ser cuidadosa, pois a planta não suporta excesso de água. O ideal é deixar o substrato meio úmido.

Multiplicação: Se dá por estaquia ou enxertia.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Plantio: Deve ser feito dois meses após a floração. Por estaquia, corte um pedaço de um galho da planta mãe, com uns dois ou três nós. Coloque no fundo do vaso cacos de telha ou tijolo para proporcionar uma boa drenagem. Ponha a muda e complete com o substrato mencionado acima. compacte bem e não regue por pelo menos uma semana. Se tiver xaxins antigos, esses podem ser utilizados como substrato.
Por enxertia, compre pequenos cactos em feiras, faça um corte reto, deixando apenas uns 8 centímetros de altura, faça pequenos buracos retos por cima, no local já cortado, e enfie pedaços com dois ou três nós no local. Não regue por uns 15 dias.

Adubação: Use adubo com macronutrientes equilibrados como NPK 20-20-20, por exemplo, uma vez por mês. Regue as raízes e folhas. Nunca exceda a dosagem recomendada pelo fabricante.

Sucesso no cultivo!

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Orquídea-bambu

Orquídea-bambu

Nome científico: Arundina graminifolia e Arundina bambusifolia.

Sinônimos: Não possui. Orquídeas são identificadas pelo seu nome científico.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Ásia.

Características: É uma orquídea terrestre com até 2 metros de altura, folhas opostas, simples, lineares, verde-amareladas. Forma touceiras. Flores com 8 centímetros de diâmetro com pétalas e sépalas róseas e labelo lilás. Floresce o ano todo.

Tipo de solo: Solo fértil, pouco compactado e com boa drenagem.

Luminosidade: Meia-sombra a sol direto.

Multiplicação: Pelas mudinhas que nascem junto à planta mãe, tanto na parte terrestre quanto nas partes aéreas.


    Foto: Maria do Carmo Silva


Plantio: Faça uma cova de 40 x 40 x 40 centímetros, ponha a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal ou cinza e esterco de curral ou compostagem.

Regas: Diárias.

Adubação: Prefira a adubação orgânica, utilizando esterco de curral ou compostagem, duas vezes por ano.

Ótimo cultivo!

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Espirradeira

Espirradeira

Nome científico: Nerium oleander.

Sinônimos: Oleandro, loureiro-rosa, cevadilha e flor-de-são-José.

Origem: África, Ásia e Mediterrâneo.

Tipo de solo: Prefere solos férteis, com pouca compactação e bem drenados.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Luminosidade: Sol direto.

Características: É uma árvore de até 3 metros de altura, bem esgalhada, densamente folhada, com folhas lanceoladas, simples, opostas cruzadas, verde-brilhantes. A floração ocorre em cachos nas pontas dos galhos e podem ser cor-de-rosa, brancas ou avermelhadas.

Multiplicação: Por sementes ou estaquia.

Plantio: Faça uma cova de 40 x 40 x 40 centímetros, coloque a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal esterco de curral ou compostagem.

Regas: Três vezes por semana.

Importante: Toda a planta, possui um látex tóxico, se ingerido ou em contato com a pele. Portanto, ao tê-la em seu jardim, tome muito cuidado com crianças próximo a essa planta.

Ótimo cultivo para todos!


quinta-feira, 2 de junho de 2016

Ixora-chinesa

Ixora-chinesa

Nome científico: Ixora chinensis.

Sinônimos: Alfinete-gigante e ixora-vermelha.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: China e Malásia.

Características: É um arbusto lenhoso de até 2 metros de altura, bem esgalhado, com folhas inteiras, simples, ovadas, verde-brilhantes, com até 15 centímetros de comprimento. Flores pequenas, róseas ou avermelhadas, formando pequenos buquês. Bastante ornamental.

Solo: Gosta de solos férteis, pouco compactados e bem drenados.

Luminosidade: Sol direto.

Multiplicação: Por estaquia. Corte um galho já maduro em pequenos pedaços de 20 centímetros. Encha saquinhos para mudas de terra comum e enfie esses pedaços. Mantenha à sombra e regue diariamente.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Plantio: Pode ser feito em canteiros ou em vasos. Em canteiro, faça uma cova de 40 x 40 x 40 centímetros, ponha a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal e esterco de curral ou compostagem.
Em vasos, coloque cacos de telha ou tijolo no fundo para propiciar boa drenagem, ponha um pouquinho de terra, coloque a muda e preencha com a mesma mistura citada acima.

Regas: Em vaso, diariamente. Em canteiro, três vezes por semana.

Adubação: Faça a adubação orgânica, usando esterco de curral ou compostagem trimestralmente.

Sucesso no cultivo!